5 alimentos que mais causam alergia alimentar

5 alimentos que mais causam alergia alimentar

A alergia alimentar é uma reação anormal do nosso organismo a alguma proteína presente na comida – o corpo identifica como uma ameaça substâncias que, na verdade, não causam doenças, iniciando uma resposta imune para combatê-las. Para a nutróloga do HCor (Hospital do Coração), Daniela Gomes, esta reação atinge cerca de 8% das crianças com idade inferior aos três anos e quase 3% dos adultos.

Saiba mais

Restrições alimentares. Explicar às crianças e não dramatizar.

Restrições alimentares. Explicar às crianças e não dramatizar.

Para ajudar um jovem com excesso de peso a emagrecer a família deve adotar o mesmo tipo de comida. Se há uma intolerância alimentar, só a criança beneficia das restrições.

As restrições alimentares como alergias e intolerâncias, bem como excesso de peso, obrigam as famílias a ajustar os seus hábitos. Deve o resto da família seguir padrões mais restritivos porque um dos membros não pode comer determinado alimento? Não. Dizem os especialistas em nutrição que cada família deve fazer o que for mais cómodo para si, mas não há nenhuma recomendação para que siga a mesma dieta. No entanto, há algumas dicas para que a criança não se sinta excluída. Já se o problema for excesso de peso, é benéfico que todos adotem o mesmo regime. Em qualquer caso, dizem os psicólogos, é importante não dramatizar, porque as crianças têm capacidade de se adaptar.

Saiba mais

Por quê a alergia é tão comum hoje em dia?

Por quê a alergia é tão comum hoje em dia?

Do pólen ao látex, passando por poeira ou animais domésticos, quatro em cada dez pessoas são hoje consideradas alérgicas a algo.

Mas se a alergia não acometia as gerações de nossos avós, qual é a causa da doença que acomete centenas de milhares de pessoas todos os anos?

Muitas teorias surgiram com o passar do tempo, mas agora cientistas acham que talvez tenham descoberto a origem das alergias.

Cada um de nós é coberto da cabeça aos pés por bactérias. Pesquisadores acreditam que esses micro-organismos são a chave para entender por que estamos nos tornando mais alérgicos.

Saiba mais

A importância dos rastreios da doença alérgica

A importância dos rastreios da doença alérgica

Em Portugal, estima-se que a doença alérgica afete cerca de 1/3 da população: de acordo com os dados atuais 30% da nossa população tem queixas de rinite, 18% tem concomitantemente queixas de conjuntivite e cerca de 10% tem asma. A prevalência de sintomas de asma é mais elevada nas crianças (39%), sendo o sintoma mais frequente acordar com tosse. No entanto, apenas cerca de metade dos doentes com asma têm a sua doença controlada, salientando-se que os doentes com asma controlada têm melhor qualidade de vida e menor risco de complicações. Não é consensual a razão do acréscimo das doenças alérgicas nas últimas décadas, mas o ambiente interior e exterior associado ao estilo de vida são apontados como os prováveis responsáveis.

Saiba mais

Como lidar no dia a dia com a restrição alimentar da criança ou adolescente?

Como lidar no dia a dia com a restrição alimentar da criança ou adolescente?

Bem, para começar este artigo vou lhes contar o mais valioso conselho que me deram no meu primeiro contato com pessoas que tinham a mesma restrição alimentar que eu.

Foi na Caminhada do Dia do Celíaco (em maio) no Parque Ibirapuera em SP. Estavam participando muitas pessoas com a mesma restrição que eu e meu filho, e eu lá, marinheira de primeira viagem, apavorada, sem chão, buscando desesperadamente acreditar que tudo ia ficar bem e sugando toda e qualquer dica prática que pudessem me dar para manter o dia a dia o mais normal possível.

Saiba mais

Como lidar com a restrição alimentar no dia a dia?

Como lidar com a restrição alimentar no dia a dia?

ACABEI DE DESCOBRIR UMA RESTRIÇÃO ALIMENTAR, E AGORA?

Finalmente você acaba de saber que aquele mal-estar geral no organismo, aquela dor de cabeça, coriza, moleza, cansaço nas pernas, sinusite, rinite, barriga estufada, flatulência, gases muito presentes no dia a dia, má digestão, queda de cabelo, unha quebradiça, espinhas, olheiras, manchas na pele e etc., é uma intolerância alimentar que vai levá-lo (a) à umarestrição alimentar, que bem sei que deve ser o que você mais gosta, e já não deve estar se imaginando como será viver sem ele, e nem poder experimentar só um pouquinho de vez em quando.

Saiba mais

Entidades querem acesso fácil à adrenalina para tratar crises alérgicas

Entidades querem acesso fácil à adrenalina para tratar crises alérgicas

Era uma noite tranquila de dezembro. Lisiane Carafini, 37, acordou para alimentar seu bebê e ouviu uma tosse estranha. Ela achou o marido, Leonardo Semprebom, irreconhecivelmente inchado. Era a primeira crise anafilática dele. Na segunda, morreu. Para evitar casos como esse, entidades lutam para trazer uma pequena “caneta” de adrenalina para o Brasil.

A anafilaxia é um processo alérgico grave que pode levar à morte. Ela ocorre no contato entre o organismo e alérgenos, substâncias que, mesmo aparentemente inofensivas, são tidas pelo corpo como um perigo. Leite, ovo, peixes, castanhas e crustáceos lideram a lista de causas da doença, segundo a Anafilaxia Brasil, projeto da Asbai (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia).

Saiba mais

Como utilizar adrenalina autoinjetável

A adrenalina autoinjetável é utilizada no tratamento de uma grave reação alérgica, a anafilaxia, que pode levar à morte. Uma pessoa com anafilaxia deve receber cuidados médicos emergenciais antes de pedir ajuda. A adrenalina autoinjetável é constituída de epinefrina, uma versão sintética da adrenalina que é produzida naturalmente pelo corpo. Uma única dose de epinefrina, ao ser corretamente administrada, oferece praticamente risco zero de maiores problemas, além de poder salvar a vida do paciente se utilizada no momento certo.

Leia na íntegra
http://pt.m.wikihow.com/Utilizar-Adrenalina-Autoinjet%C3%A1vel

Alergia a leite de vaca e necessidade de cálcio

Alergia a leite de vaca e necessidade de cálcio
O leite de vaca e seus derivados são a principal fonte de cálcio de nossa alimentação, o qual é um nutriente muito importante para a formação dos ossos. Para a população saudável, aproximadamente 60 a 70% das necessidades de cálcio são atingidas com o consumo de laticínios. E agora que meu filho tem alergia a leite de vaca? Como posso fazer para manter uma boa ingestão de cálcio? Leia na íntegra http://girassolinstituto.blogspot.com.br/2016/03/alergia-leite-de-vaca-e-necessidade-de.html?m=1